AEROPET P.36 A MALA OFICIAL DA TAM

QUERIDOS BLOGUEIROS

Não seja enganado. Estamos a um mes das ferias de Julho/13 e com isso muitas ligações de passageiros que desejam viajar com seu pet na cabine das aeronaves.

Muitas lojas ( empurram) malas que não seguem as exigencias da Tam. Ja tivemos conhecimento de passageiros que não conseguiram embarcar e foram barrados no chek-in . NÃO PASSE POR ESSE ABORRECIMENTO E STRESS.

Nós somos os fabricantes da Unica mala aprovada e indicada pela Tam. Com ela vc poderá embarcar tranquilamente.

Para viagens Nacionais e Internacionais.

Entre em nosso site  www.petcar.com.br  e clik em contato e peça mais informações

(Ler mais)

O Professor Táxi


O Professor Táxi

Aloisio da Cidade

 

Tem coisa que a gente sabe que tá errado e mesmo assim passa um bom tempo arrastando, com soluções cosméticas para melhorar a aparência ou simplesmente escondendo a sujeira embaixo do tapete, de forma que poucos conseguem ver que essa sala elegante na verdade é uma grande latrina. Mas o tempo é sábio e a coisa vai ficando tão feia que mais e mais pessoas percebem o desajuste, mas já ninguém tem coragem de enfrentar, adiando como pode para o próximo responsável. Isto pode acontecer na vida privada, nas relações sociais, numa equipe de

(Ler mais)

Como é a educação pública superior no país em que você vive?

Moro no Chile. Tenho vivido de perto as demandas por uma educação pública de qualidade.

É incrível, mas no país que se dizia ¨Jaguar¨ da América Latina, tem-se a 2ª educação superior mais cara do mundo, a educação pública NÃO é gratuita, os professores não têm estabilidade laboral (62% não tem qualquer tipo de contrato de trabalho ou vínculo institucional). Os alunos saem da faculdade - de qualidade no mais das vezes duvidosa - com dívidas na ordem de USD 60.000 mais juros. Que futuro espera este jovem?

Pergunto então como são os sistemas educativos públicos nos países onde vocês

(Ler mais)

O herói e o normal no terremoto do Chile

Imagen0026.jpg

Foto: Caixa d´água que afundou cerca de 2 metros no vilarejo de Hospital, 50 km ao sul de Santiago

Essa é mais uma história sobre o terremoto da madrugada de 27 de fevereiro de 2010 no Chile. Seguramente não é a primeira nem a última. Não é a história de um grande herói, de um bombeiro fantástico, um policial destemido ou um governante inspirado. Tampouco é mais uma destas histórias celebradas pelos meios de comunicação: de quem salvou alguém ou foi salvo, de quem perdeu tudo ou todos, de quem levanta, do meio dos escombros, uma bandeira nacional. É a

(Ler mais)

O fracasso da esquerda chilena

Muitos reclamam que em quatro anos não se constrói um país, não se muda nada, mal se consegue estruturar para que o time funcione e já chegam as próximas eleições. Bom, para começo de conversa, os mandatos oscilaram entre 4 (Aylwin e Bachelet) e 6 anos (Frei e Lagos). O que dizer do mandato acumulado de 20 anos? Não é suficiente? Quais são as amarras? Não há vontade política?

E o que isso tudo tem a ver com o Brasil?

Veja o artigo completo no Correio da Cidadania

Para dividir e digerir

Num desses dias chuvosos de Edimburgo me peguei sapeando a TV, como num esforço para manter a cabeça vazia e relaxada. Parei desavisadamente num programa que mostrava uma experiência de uma senhora que trabalha há anos tentando sensibilizar as pessoas quanto ao preconceito de raça.

Todo mundo adora se dizer "não preconceituoso", mas o que essa senhora queria mostrar é que a hegemonia branca está entranhada nas sociedades (ou na grande maioria delas) e mesmo que você nunca tenha cometido nenhum ato ou palavra de racismo, vive numa sociedade racista. Sim, AINDA vivemos nela.

A experiência consistia em dividir dois

(Ler mais)

Branco e Preto

As referências de cor variam muito em diferentes lugares. Prato cheio para quem estuda semiótica. Reza a lenda que no Alasca distinguem vários tipos de branco bem como em determinados países árabes, a presença do deserto faz com que distinguam o que classificamos como amarelo em diversas palavras diferentes. O que chamamos de tons (nuances da mesma cor) para eles são cores diferentes.

Quando estive na Tanzânia, fiz certa amizade com um sujeito chamado Julius, cujo apelido era Whitey ("branquinho"). Querem ver o quanto ele é branquinho?

E aqui no Chile acontece o contrário. Uma das coisas mais divertidas é

(Ler mais)

Artigos "The Clinic"

Olá pessoal,

Andei publicando uns artigos sobre a perspectiva de um brasileiro supostamente imerso na sociedade chilena e gostaria de compartilhar com vocês aqui!

Vou publicar um por um para ver se alguém se anima de comentar e compartilhar a opinião! Publico em português, mas os publicados no jornal (The Clinic) estavam, evidentemente, traduzidos da melhor maneira possível...

Um abraço do Aloísio

 

"Alharacos" (por Aloisio da Cidade)

Ainda lembro meu assombro quando da primeira vez que abri um jornal no Chile, em meados de 2000. Na primeira página figurava, vejam vocês, um roubo, a mão armada, a um supermercado. Roubo.

(Ler mais)

Mudando de País com seu Bichinho de Estimação

Quando soubemos que iríamos passar um tempo indeterminado em NY por causa do MBA do meu marido, tivemos pouco tempo para preparar toda a mudança. Pedir demissão do trabalho cumprindo o aviso prévio, vender os móveis, mandar o que não foi vendido para a cidade de nossos pais (somos de SP mas na época morávamos em Brasília), separar o que iríamos trazer, correr atrás dos documentos para tirar o visto,idas à embaixada, enfim.... todo esse processo que os brasileiros que moram  fora bem conhecem.

Mas além disso tudo, tínhamos um outro desafio: trazer nossa gatinha, Mia Farrow, conosco. E posso

(Ler mais)

O Idioma: Refúgio ou Barreira?

 

- Olha só a roupa...

- É, o chileno é mais elegante mesmo.

Ao ouvir a turista brasileira comentar com a amiga na calçada de Providencia (tipo Jardins daqui), olhei em volta e percebi que estavam falando de mim. Satisfeito não apenas pelo elogio, mas por dar-me conta que pelo menos já me camuflo para os turistas, muito embora para o chileno esteja bem claro que venho de fora, coisa que nem faço questão de esconder. Minto: exceto no camelô, que vai querer cobrar mais caro.

Pensei em agradecer, mas preferi manter o anonimato para ver se vinha alguma outra

(Ler mais)

Comentarios recientes

Cerrar